Gestão de Crise: visão geral da responsabilidade dos RH

Por o 22 Maio 2020

A função RH desempenha um papel fundamental na gestão adequada de uma crise empresarial. Qualquer que seja o modelo organizacional de uma empresa ou instituição, a função RH tem de lidar com a Gestão de Crises assumindo a responsabilidade de contribuir para a compreensão da crise do ponto de vista da produtividade, bem-estar e saúde dos trabalhadores.

Quer se trate de um acontecimento meteorológico ou ambiental com elevado impacto (por exemplo, terramotos) ou de ameaças à segurança, saúde e bem-estar dos colaboradores, os profissionais de RH não podem eximir-se à responsabilidade pela comunicação e formação, que inevitavelmente fazem parte da execução de qualquer plano de emergência. A razão é simples: a gestão correta da crise está intimamente relacionada com o bem-estar dos colaboradores, a fiabilidade da gestão e a credibilidade da marca.

Mindset de crise: estar preparado para a ação

No entanto, é necessário ter a mentalidade de crise correta, entendida como a capacidade de pensar no pior cenário possível, a fim de preparar numerosas soluções alternativas, que podem ser declinadas de acordo com a evolução real do fenómeno adverso. É necessário agir antecipadamente, com a consciência de que alguns acontecimentos não são evitáveis, mas só podem ser combatidos. As pessoas que operam em ambientes organizacionais complexos (como as multinacionais) devem estar preparadas para reagir rapidamente e de forma não prevista a emergências que possam afetar o seu ambiente de trabalho.

Ao mesmo tempo, muitas empresas enfrentam uma situação de emergência cuja gestão adequada requer competência, racionalidade e dedicação.

Orientações: visão geral

Numa situação de emergência, os profissionais de RH devem ter em mente que, em parceria com outros agentes da organização, devem ser capazes de:

  • Compreender que restrições externas (por exemplo, leis extraordinárias, instruções de segurança pública) devem ser respeitadas;
  • Recolher a informação ambiental correta (mercado, sistema social) para compreender as tendências e cenários futuros;
  • Desenhar cenários progressivos a dois níveis: otimista e severo;
  • Reavaliar se o plano de ação padrão já presente na empresa é adequado ou exige adaptação;
  • Conhecer os métodos para uma adaptação dos processos internos (num cenário mais otimista ou mais severo);
  • Desenhar o plano de ação, tendo em conta a gestão de emergência e pós-emergência;
  • Desenvolver planos de comunicação interna e externa que promovam um alinhamento comportamental adequado e uma gestão da ansiedade.

A função RH deve equilibrar cuidadosamente pelo menos dois níveis: manter a produtividade para assegurar a sobrevivência da empresa e garantir um ambiente operacional seguro e inclusivo para os trabalhadores.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Avatar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva o Blog

For security reasons, JavaScript and Cookies must be enable in your browser to subscribe