Competitividade Global – Sabe desenvolver um Negócio Competitivo e Inovador?

Por o 2 Maio 2016

Competir num mercado global e extremamente rápido na sua forma de agir, onde as empresas estão constantemente a reinventar-se é importante deter a informação mínima necessária para criar novas movimentações, seja para defesa e/ou ataque. Atualmente vivemos uma situação económica que passa para lá da concorrência e da sobrevivência das empresas, vivemos um momento de guerra económica entre países. Este é um facto que não podemos descurar sob pena de continuarmos na cauda da europa e do mundo. É determinante que se faça uma monitorização do mundo e se consiga criar uma rede de inteligência económica, social e competitiva com vista a criar oportunidades de negócio no exterior, criar alianças estratégicas e ao mesmo tempo planear a redução das importações.


Competitividade Global

– Sabe desenvolver um Negócio Competitivo e Inovador?

 

 

Competitividade é uma palavra simples na sua essência, mas não simplista! A essência da palavra Competitividade é simples, são as suas ramificações inconscientes que a tornam complexa. Por isso vamos tratar de cada uma das suas ramificações, torná-las conscientes no seio das organizações e a partir desse momento estamos em condições de encontrar a direção que queremos dar às indústrias e as empresas.

O tecido empresarial em Portugal é formado por empresas predominantemente familiares de pequena dimensão, essencialmente focadas no mercado doméstico. O seu desenvolvimento tecnológico ainda é diminuto o que obsta à dinamização, automatização e agilização de toda a cadeia de valor das organizações e dificulta a criação de novos fatores de inovação nos modelos de negócio existentes.

A Investigação e Desenvolvimento em Portugal tem deficiências fortes ao nível de recursos humanos e financeiros face aos parceiros europeus. Este facto determina uma dificuldade em manter os talentos e os investigadores portugueses em território nacional, como também torna difícil atrair investigadores e investidores estrangeiros para o nosso país.

dreamstime_xxl_7877715Para competir num mercado global e extremamente rápido na sua forma de agir, onde as empresas estão constantemente a reinventar-se é importante deter a informação mínima necessária para criar novas movimentações, seja para defesa e/ou ataque. Atualmente vivemos uma situação económica que passa para lá da concorrência e da sobrevivência das empresas, vivemos um momento de guerra económica entre países. Este é um facto que não podemos descurar sob pena de continuarmos na cauda da europa e do mundo. É determinante que se faça uma monitorização do mundo e se consiga criar uma rede de inteligência económica, social e competitiva com vista a criar oportunidades de negócio no exterior, criar alianças estratégicas e ao mesmo tempo planear a redução das importações.

A competitividade das indústrias de um país é importante para o seu desenvolvimento económico. As oportunidades de crescimento, a inovação e a prosperidade têm de ser articuladas entre todos os atores no mercado, desde empresários, passando por investidores e terminando nos administradores públicos. Desta forma é possível criar um clima económico saudável com um investimento sustentado ao longo dos tempos.

 

Desenvolver uma Plataforma de Competitividade e Inovação

É essencial tornar o país com sentido de contexto mundial e essencialmente entender quais os mercados onde se quer e deve apostar. É fulcral que investir e desenvolver modelos globais inovadores que satisfaçam necessidades dos mercados e locais onde se criem vontades mundiais. Há que adaptar aos momentos atuais e superá-los com audácia e movimentos assertivos, e para isso é determinante:

  1. Criar uma plataforma de Inteligência Competitiva e Económica que permita aumentar a eficiência e competitividade das organizações portuguesas.
  2. Estruturar modelos de negócio existentes por sector de indústria e criar sinergias entre para organizações para competir no mercado externo.
  3. Desenvolver um processo de Scanning sistemático de novos mercados não europeus para exportação dos bens transacionáveis portugueses.
  4. Implementar uma plataforma de alertas tendo em conta indicadores económicos, demográficos, sociais e tecnológicos que permitam às organizações adaptarem-se e otimizarem os seus modelos de negocio tendo em conta as alterações apresentadas nos indicadores que as afetam diretamente.
  5. Criar centros de prospeção internacional nas embaixadas portuguesas e retirar fatores de inovação para inclusão nos modelos de negócio nacionais.

 

Toda a informação e intelligence disponível sobre o contexto onde se compete é fulcral para a definição de estratégias coerentes e assertivas que permitam uma antecipação perante os concorrentes. É determinante que as organizações quando se expõe no mercado global, seja doméstico ou internacional, tenham o conhecimento de todas as variáveis que envolvem o negócio e as suas transações.

A movimentação estratégica define que a procura de recursos, informação e conhecimento aumenta a probabilidade de definir novas formas de competir, inovar e adquirir uma posição mais forte no mercado. O “renascer” constante e focado permite às organizações criarem mecanismos de defesa através do seu posicionamento e ao mesmo tempo, por via da inovação e da criação de novos produtos e/ou serviços, de ataque.

Por este motivo, considera-se que uma monitorização constante dos mercados permita encontrar novas opções para o tecido empresarial. Esta opção aumentará a possibilidade de criar novos processos e produtos evidenciando uma capacidade inovadora de todas as organizações.

As oportunidades multiplicam-se à medida que são apreendidas e por isso devemos viver o futuro com um foco no presente sem nunca esquecer os caminhos do passado. Está na hora de agir em prol de um futuro sustentado, consciente e ao mesmo tempo direcionado.

Outra publicação do mesmo tema

Deixe um comentário

Avatar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva o Blog

For security reasons, JavaScript and Cookies must be enable in your browser to subscribe