“A inovação faz parte da história do Pestana Hotel Group desde o início”

Por o 29 Outubro 2019

A história do Pestana Hotel Group começou a escrever-se em 1972, altura em que abriu o seu primeiro hotel na Madeira, o atual Pestana Carlton Madeira. Hoje, afirma-se como a maior cadeia hoteleira e de lazer de Portugal, figura entre os 31 maiores grupos hoteleiros da Europa e prepara-se para inaugurar o seu hotel número 100, localizado em Nova Iorque.

Em entrevista, José Theotónio, CEO do Pestana Hotel Group, refere como se tem processado o plano de expansão e crescimento ao longo das décadas, explicando que “o Grupo procurou sempre, por um lado, maximizar sinergias e capitalizar economias de escala por região e, por outro, adaptar o know-how adquirido em algumas áreas de negócio complementares”.

Conheça um pouco mais da história do Grupo Pestana, um dos Partners da CEGOC no âmbito do Business Transformation Summit.

 

 

– Os modelos de negócio no sector do Turismo e da Hotelaria têm sofrido profundas alterações nos últimos anos. Como é que o Grupo Pestana tem adaptado a sua ação de forma a manter os índices de competitividade? 

 

José Theotónio (JT): Turismo tem crescido sustentadamente nos últimos 20 anos a nível mundial, sendo hoje um setor vibrante e em permanente mutação. Este dinamismo é bem visível, por exemplo, na evolução dos produtos e conceitos: à hotelaria tradicional sucederam-se os hotéis boutique, os hostels e os all inclusive, entre muitos outros, para além da proliferação dos apartamentos dirigidos em parte ou em exclusivo à atividade turística. Do lado da procura, as alterações são também sucessivas e cada vez mais rápidas e exigentes – segmentou-se, buscando novos formatos e tem novas e múltiplas motivações. A revolução do transporte aéreo, com o surgimento das companhias de baixo custo, e a popularização da internet e do comércio eletrónico, implicaram enormes alterações nos modelos de negócio e conduziram à criação de novos canais para dar resposta a novos segmentos, que complementam a oferta anterior. Deste modo, as alterações dos modelos de negócio são permanentes e céleres, com alterações de players e com a necessidade de um forte e constante investimento em tecnologia, e novas competências.

A inovação faz parte da história do Pestana Hotel Group desde o início, com a abertura do seu primeiro hotel, na ilha da Madeira, na década de 70, fruto da visão do seu fundador, Manuel Pestana, ao apostar num setor inovador à época, num destino que ainda não existia no mapa do turismo. Hoje, a pegada do Grupo estende-se a 16 países, com 99 hotéis. As duas primeiras décadas foram dedicadas a consolidar a operação hoteleira na Ilha da Madeira e a lançar das bases da liderança em Portugal que mantém. O rigor na gestão aliado à visão de longo prazo e capacidade de inovação foram as bases para lançar a expansão internacional do Pestana Hotel Group, com o objetivo de ganhar escala. Iniciou em África, em 1999, logo seguida da América do Sul, através do Brasil, em 2000. Na década seguinte, cresceu na Europa com o primeiro hotel em Londres, logo seguido de Barcelona e Berlim, enquanto continuava também o seu de crescimento nas Américas com a abertura do primeiro hotel nos Estados Unidos da América, em Miami, em 2013.

Em 2019, o Grupo chegará aos 100 hotéis com a abertura do seu primeiro hotel em Nova Iorque. Em cada região o Grupo procurou sempre, por um lado maximizar sinergias e capitalizar economias de escala por região e, por outro, adaptar o know-how adquirido em algumas áreas de negócio complementares. Aos tradicionais resorts que estiveram na sua origem, a rede foi adicionando novos produtos ao seu portefólio, passando a incluir all inclusive, hotéis históricos (com a marca Pousadas de Portugal), hotéis urbanos e de luxo, boutique e mais recentemente Lifestyle (com a nova marca Pestana CR7 Lifestyle Hotels), sempre em localizações-chave. Paralelamente, diversificou os seus investimentos em áreas complementares da atividade turística como distribuição, golfe, imobiliário, aviação e entretenimento com o objetivo de oferecer produtos completos e competitivos. Mais recentemente, em resposta à digitalização crescente da economia, o Grupo tem feito uma forte aposta em tecnologia e em profissionais altamente qualificados para criar centros de competência capazes de concorrer a nível global.  

 

– Qual o papel da Liderança e dos Recursos Humanos neste processo?

 

JT: O Pestana Hotel Group está muito atento às transformações do setor, que continua a ser uma indústria de pessoas para pessoas. Os recursos humanos são uma prioridade e estamos altamente empenhados na sua valorização, em particular nas funções tradicionais da hotelaria que continuam no centro da nossa atividade, ao mesmo tempo que temos vindo a reforçar a aposta na captação, formação e retenção de novos talentos, em áreas inovadoras, essenciais para dar resposta aos novos desafios do setor.  

 

 – Como é que o Grupo Pestana tem acelerado a sua performance digital nos últimos anos?

 

JT: Os setores do transporte e hotelaria são dos mais impactados pela transformação digital, realidade que veio para ficar e vai acelerar. O Pestana Hotel Group vem procurando antecipar e acompanhar as novas tendências, em todas as vertentes, com a criação de novos produtos, promoção, distribuição, preço, serviços, forma de avaliação, comunicação e dados sobre os clientes. Não se trata apenas de (grandes) investimentos para melhorar os custos da distribuição, área onde estamos a otimizar o relacionamento com as OTAs, e a melhorar de forma sustentada os canais próprios (site e “call center”), mas também  o estreitar a relação com o cliente, adequando a cada momento a oferta às novas tendências da procura, através de sistemas e parcerias que permitem monitorizar permanentemente os resultados, agindo, corrigindo e agindo de novo com rapidez em cada interação. Foram ainda desenvolvidas ferramentas de data analytics que permitem tomar decisões de forma mais célere e tendo por base dados de negócio e clientes muito relevantes.

 

O tema do Business Transformation Summit de 2019 é precisamente a Aceleração. Por que é que decidiram juntar-se à CEGOC como Partners e quais as principais mais-valias desta parceria para o Grupo Pestana?

 

O tema escolhido, a “Aceleração”, é muito atual e crítico para o setor da hotelaria, sobretudo no contexto deste mundo cada vez mais “VUCA”. A alteração dos modelos de negócio e a velocidade à qual as empresas têm hoje de adaptar as suas estratégias são críticas para o seu sucesso ou mesmo para a sua sobrevivência. Acreditamos, por isso, que esta parceria permitirá ao Pestana Hotel Group continuar a par das novas tendências de mercado, fomentando também a parceria com a CEGOC, empresa com a qual nos orgulhamos de trabalhar e partilhar experiências.

 

Outra publicação do mesmo tema

Deixe um comentário

Avatar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva o Blog

For security reasons, JavaScript and Cookies must be enable in your browser to subscribe