Porque é que o microlearning poderá ser uma boa estratégia de formação?

Por o 21 Novembro 2017

As soluções digitais dedicadas à formação estão cada vez mais curtas em termos de duração. Uma das principais tendências no mercado de e-learning é o microlearning. Um método de formação com conteúdos pequenos e rápidos, no máximo 5 minutos.

Porque é uma tendência que se deve seguir?

Por 2 razões principais:

  • Aprendizagem personalizada e evolutiva;
  • Spaced learning (o conteúdo da formação é enviado em pequenas sequências e de forma espaçada no tempo).

As pessoas têm cada vez menos tempo para incluir a formação no seu dia a dia. Pretendem respostas rápidas às suas perguntas. A maioria das soluções de elearning propõe soluções de formação longas e formais, que levam mais de 30 minutos para serem concluídas.

Graças às estratégias de aprendizagem adaptativa, a experiência de aprendizagem é modificada de acordo com o desempenho e o envolvimento dos formandos. Baseia-se na adaptação dos formandos à tecnologia e aos dados; o caminho de aprendizagem ajusta-se ao domínio do formando em atingir um objetivo específico.

Com o microlearning, beneficia-se de uma solução mais flexível que permite “direcionar” a aprendizagem do formando, em tempo real, de acordo com:

  • o que ele realmente precisa de descobrir entre as novidades;
  • o que ele ainda não conhece;
  • o que ele não pode aceder on-line;
  • as GAP de performance (lacunas de performance)

Não esqueça a curva do esquecimento

A maior parte do trabalho de design pedagógico está focado em simplificar e reduzir a curva de esquecimento. Mas o que acontece depois? Se a aprendizagem não for repetida ou reforçada, estas informações são perdidas ao longo do tempo.

A “curva de esquecimento” é um conceito definido por Hermann Ebbinghaus em 1885. 120 anos depois, este conceito ainda é relevante e o e-learning pode ajudar-nos a evitar lapsos dememória ao longo do tempo.

Formação espaçado no tempo: contrariar a curva de esquecimento

A maioria dos estudos demonstram que conservamos o conhecimento que aprendemos recentemente com mais frequência quando ensinado repetidamente ao longo de um período de tempo definido. Além disso, ao invés de oferecer longas horas de atividades de e-learning, precisamos de nos concentrar em criar sequências de formação menores (microlearning) durante um longo período de tempo.

O microlearning é o formato mais apropriado para disponibilizar aos formandos uma formação longa em diversas partes. Estudos clínicos mostraram que aprender em pequenas sequências com mais frequência facilita a integração de maiores quantidades de informação.

Como alcançá-lo?

A estratégia não consiste apenas em repetir exatamente a mesma atividade de aprendizagem repetidamente. Precisamos usar a flexibilidade das tecnologias on-line para oferecer diferentes atividades. Por exemplo:

No final de uma sessão de formação presencial em técnicas de vendas, o formandos poderia receber um estudo de caso de diferentes tipos de clientes. Uma semana depois, um vídeo poderia apresentar boas práticas nesta área. Um mês depois, um simulacro ajudaria a entender as técnicas de venda a utilizar.

Assim, a chave para o treino de memória a longo prazo não é o tempo atribuído ao processo de aprendizagem, mas o tempo entre as diferentes sequências de aprendizagem. Esse tempo é valioso para o formando assimilar o conhecimento e a repetição promove reminiscências de longo prazo. Além disso, no final, intervalos mais longos entre as sequências de aprendizagem contribuem para uma memória duradoura e uma formação mais efetiva.

Para iniciar o caminho para o microlearning… aqui ficam algumas dicas

4 dicas para o ajudar a desenvolver atividades de formação em microlearning:

  1. Use uma ferramenta de criação de conteúdo e-Learning adaptada: isso permite criar um modelo básico para exibição em todos os dispositivos e navegadores.
  2. Crie vídeos de formação direcionados – os formandos podem assistir rapidamente a um vídeo que explora um tópico ou os direciona para completar uma tarefa. O YouTube é uma prova de que esta estratégia funciona.
  3. Concentre-se na tarefa em mãos, por um lado, mas não se esqueça de fornecer recursos adicionais.
  4. Desenvolva infográficos visualmente atraentes: a infografia é uma forma ótima para destacar estatísticas, fatos e tendências que seus formandos precisam saber.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Avatar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva o Blog

For security reasons, JavaScript and Cookies must be enable in your browser to subscribe