Gestão feliz: faça as escolhas positivas no seu local de trabalho

Por o 17 Novembro 2017

As empresas socialmente responsáveis não estão apenas preocupadas em reduzir o impacto ambiental, estão também empenhadas em garantir aos seus colaboradores condições de trabalho seguras e satisfatórias. A Gestão Especializada e o Desenvolvimento Sustentável tornam este conceito de qualidade de vida no trabalho, um dos princípios fundamentais da Responsabilidade Social Corporativa.
 

Gestão feliz

 

Colaboradores felizes fazem os gestores e clientes felizes

A identificação das questões estratégicas de responsabilidade social corporativa para as empresas, organizações e comunidades é, em parte, uma questão de necessidade:

  • De um esclarecimento sobre os papéis e as expectativas, a provisão dos meios necessários para alcançar os objetivos atribuídos, uma organização eficiente;
  • De uma recompensa justa e consistente para a missão;
  • De condições de trabalho adaptadas às necessidades e expectativas dos colaboradores;
  • De uma gestão humana que escuta os colaboradores;
  • De um ambiente de trabalho, elemento-chave da qualidade de vida no trabalho.

 

Crie uma atmosfera de trabalho que promova o compromisso

Não se trata de procurar “felicidade” no trabalho, mas de simplesmente criar uma atmosfera que encoraje o compromisso. Que pode passar pela presença de cor nos escritórios, ultrapassando o open space inadequado, tornando a área do coffe-break mais fácil de usar e mais apelativa, criando uma zona de convívio divertida e relaxante ou até, repensar o próprio design dos espaços de trabalho, são muitos os desafios que as empresas enfrentam para proporcionar uma contínua mobilização dos colaboradores.

Algumas empresas continuam a ter nos seus locais de trabalho, salas de reuniões e escritórios austeros e desmotivantes: apenas com cadeiras e uma mesa para decoração, o que não incentiva a uma dinâmica coletiva.

Quando possível, as empresas deverão fazer mudanças nas salas que poderão passar por:

  • Incentivar o convívio através da presença de sofás e cadeirões que promovam a troca de ideias;
  • Música e cores estimulantes que incentivem a criatividade;
  • Livros e jornais, promovendo um ambiente de leitura, pesquisa, leitura e de reflexão;
  • Ambientes equipados com um quadro SCRUM que incentiva uma escrita livre e que promove a nova metodologia post-It entre os vários elementos da equipa.

 

Uma gestão baseada na confiança

O bem-estar dos colaboradores não se limita ao facto de terem escritórios mais acolhedores. A “gestão feliz” passa também por diretores, chefias e equipas sorridentes, que comunicam intrinsecamente, por colaboradres que sabem como reconhecer os esforços e acompanhar as equipas em campo, esquecendo a comunicação impessoal ou as apresentações de slides intermináveis.

Os colaboradores que executam de forma eficaz as suas funções, são reconhecidos, respeitados e ouvidos. A “gestão feliz” também é baseada na confiança. O desempenho financeiro de uma empresa depende do desempenho das equipas. Em tempos de crise, escolher não investir na qualidade de vida dos colaboradores é perigoso. Mais do que nunca, devemos fazer com que os colaboradores desejem investir 100% na sua missão.

A responsabilidade social de uma empresa inclui essa dimensão de gestão, que são as condições de trabalho dos colaboradores.

Deixe-nos a sua experiência através do formulário de comentários abaixo.


Autora: Florence Gillet-Goinard (Gestora de Oferta e Expertise, Grupo Cegos)

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Avatar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva o Blog

For security reasons, JavaScript and Cookies must be enable in your browser to subscribe